Famílias araguainenses se imunizam contra sarampo

Sábado de vacinação atraiu pessoas de todas as idades às unidades básicas de saúde. Mais de 3 mil doses da Tríplice Viral foram aplicadas desde janeiro

Para garantir a imunidade, Vanessa Barros, de 40 anos, também recebeu a vacina. “Eu perdi o cartão da minha infância e estou com um há 20 anos. Tenho medo do sarampo porque era uma doença erradicada que voltou”, contou

Nem mesmo a chuva do último sábado, 15, espantou as famílias araguainenses, que aproveitaram o horário diferenciado para irem às unidades básicas de saúde (UBS) se imunizarem contra o sarampo. Desde o início do ano, mais de 3 mil doses da vacina Tríplice Viral já foram aplicadas.

O dia D foi voltado para jovens de 5 aos 19 anos que estivessem com a carteirinha desatualizada, já que a primeira dose da Tríplice Viral deve ser ministrada aos 12 meses de idade. Aos 15 meses, uma dose da vacina Tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varíola), corresponde à segunda dose da vacina tríplice e uma dose da varicela.

Algumas famílias procuraram a UBS só para ter certeza de que a imunização estava em dia, como a família Milagre. “Eu sempre fui preocupada e venho a cada 3 meses para me informar sobre as campanhas”, disse Lara, que esteve com as filhas Ana e Laura, de 11 e 7 anos, na UBS do setor Dom Orione logo cedo.

Saúde para todos

De acordo com a coordenadora de Imunização do Município, Samila Braga, além do público-alvo, todas as pessoas que procuraram se vacinar foram atendidas. “As UBS estarão abastecidas a partir de segunda para atualizar todos os cartões e já estamos aproveitando para orientar sobre as demais vacinas para que sejam aplicadas em datas corretas”, afirmou.

Somente Davi, de 5 anos, era o único membro com certificado de imunização entre a família Rocha. Helbert, de 41 anos, e Andreia, de 37 anos, perderam suas carteirinhas, e Beatriz, de 18 anos, teve o documento roubado junto com a bolsa. “No sistema não constou se tínhamos tomado e aí tomamos por via das dúvidas”, comentou Helbert.

Para garantir a imunidade, Vanessa Barros, de 40 anos, também recebeu a vacina. “Eu perdi o cartão da minha infância e estou com um há 20 anos. Tenho medo do sarampo porque era uma doença erradicada que voltou”, contou. Por exigência do novo emprego, Milena Ribeiro, de 22 anos, também compareceu para atualizar a carteirinha de vacinas e descobriu que não havia tomado a segunda dose contra o sarampo. “Eu não sabia que estava sem”, explicou.

Doença grave e contagiosa

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, e pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Os sintomas da doença são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo.

Por exigência do novo emprego, Milena Ribeiro, de 22 anos, também compareceu para atualizar a carteirinha de vacinas e descobriu que não havia tomado a segunda dose contra o sarampo. “Eu não sabia que estava sem”, explicou

Algumas famílias procuraram a UBS só para ter certeza de que a imunização estava em dia, como a família Milagre

Marcelo Martin /Fotos: Marcos Sandes/Ascom

Posts recentes

Categorias

[jetpack_subscription_form show_only_email_and_button=”true” custom_background_button_color=”undefined” custom_text_button_color=”undefined” submit_button_text=”Inscreva-se” submit_button_classes=”undefined” show_subscribers_total=”false” ]

Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons