Saúde pet: Pulgas, carrapatos e a Leishmaniose Visceral podem ser prevenidas com eficácia

Profissional da Vetoquinol Saúde Animal informa os sintomas, as doenças transmitidas e o método de prevenção

Devido a umidade e as temperaturas elevadas, parasitas como pulgas, carrapatos e mosquitos se proliferam com mais intensidade no verão. “Além do incômodo causado pelas picadas, eles podem transmitir doenças perigosas aos cães, que podem levá-los a morte. Por essa razão, a prevenção é fundamental. Vale lembrar que hoje o mercado oferece várias opções, inclusive com proteção contra os parasitas e mosquitos numa única solução, facilitando o controle pelo tutor e proporcionando melhor qualidade de vida para o pet”, informa Jaime Dias, médico veterinário e gerente técnico da área de animais de companhia da Vetoquinol, uma das 10 maiores empresas de saúde animal do mundo.

Pulgas e carrapatos

Todos os cães, inclusive aqueles que passam a maior parte do tempo dentro de casa, têm chances de entrar em contato com pulgas e carrapatos. “Esses parasitas estão na grama, em frestas no piso, carpetes, tapetes, apenas esperando a oportunidade de subir em um animal. O cão pode ter contato com eles durante o passeio diário e quando encontra outros cães na rua, por exemplo”, explica Jaime Dias. O tutor deve estar atento aos sintomas. Os mais comuns são coceira, lesões de pele, dermatite alérgica, inquietação, emagrecimento, falta de apetite, além das doenças que podem surgir, complicando ainda mais a situação do pet.

Além de anemia, pulgas podem transmitir o Dipylidium caninum, verme que acomete os cães, gerando grande desconforto intestinal. Eles são transmitidos pela ingestão de pulgas adultas infectadas, que acontece acidentalmente quando o cão se coça. Já os carrapatos são transmissores de doenças como a babesiose, que infecta os glóbulos vermelhos levando a anemia, febre, prostração; e a erliquiose, que também é conhecida como doença do carrapato, que provoca falta de apetite, febre, emagrecimento, hemorragias, depressão do sistema imunológico, além da doença de Lyme.

Leishmaniose Visceral

A transmissão dessa doença ocorre pela picada de mosquitos. “Trata-se de protozoário do gênero Leishmania, que infecta o cão, causando lesão em diferentes órgão como baço, fígado, pele, dentre outros”, informa Jaime.

A transmissão ocorre quando a fêmea do “mosquito” já infectada pica um animal saudável para se alimentar. Deste modo, ela passa as leishmanias dos animais doentes para animais saudáveis. Os cães infectados podem levar até três meses para apresentar os sintomas da doença. “Dentre os mais comuns estão perda de peso, lesões de pele, crescimento exagerado das unhas, vômito, diarreia, perda de apetite”, explica.

A leishmaniose visceral é uma doença de evolução crônica e sem cura, que se não diagnosticada a tempo poderá levar o cão a morte, além de ser considerada uma zoonose grave. “Em outras palavras, ela pode ser transmitida aos seres humanos. Por isso, é muito importante prevenir a doença, evitando que o cão seja picado pelo mosquito transmissor”, alerta Dias. “Lembrando que apenas um médico veterinário poderá diagnosticá-la. Caso o cão apresente os sintomas, o tutor deverá procurá-lo”, reforça.

Prevenção: Há mais de oito décadas a serviço do médico veterinário, a Vetoquinol Saúde Animal acaba de lançar no Brasil um produto que protege o cão contra pulgas, carrapatos e o “mosquito” transmissor da Leishmaniose Visceral. Trata-se da coleira Frontmax, que tem combinação única de três princípios ativos, liberados de forma equilibrada e contínua durante todo o seu período de ação, que é de oito meses.

Seu processo de produção – o Vetoquinol Innovation System – é inovador, com a utilização termopolímeros protetores que impedem a oxidação dos princípios ativos quando expostos a luz solar e dermocosméticos que mantêm a estabilidade dos mesmos contribuindo para a redução das possíveis reações dérmica, além de ser resiste à água e não ter cheiro. O Produto é extremamente seguro, ficando os princípios ativos em contato apenas com a gordura existente na intrude-me da pele e pelos do animal.

Frontmax Coleira está disponível nos pet-shops, em dois modelos: coleira de 38cm, indicada para cães até 4 kg, e coleira de 70cm, indicada para cães acima dos 4kg de peso.

Sobre a Vetoquinol – Entre as 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo, com presença na União Europeia, Américas e região Ásia-Pacífico. Grupo independente, projeta, desenvolve e comercializa medicamentos veterinários e suplementos, destinados à produção animal (bovinos e suínos), a animais de companhia (cães e gatos) e a equinos. Desde sua fundação, em 1933, a Vetoquinol combina inovação com diversificação geográfica. O crescimento do grupo é impulsionado pelo reforço do seu portfólio de produtos associado a aquisições em mercados de alto potencial de crescimento, como a Clarion Biociências, ocorrida em Abril/2019. A Vetoquinol gera 2.132 empregos e está listada na Euronext Paris desde 2006 (símbolo: VETO).

Fonte: Ana Lívia Lopes / Sta Press | Grupo Texto

Posts recentes

Categorias

Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons