Comunicado do Cimi acerca da pandemia do coronavírus (Covid-19)

A situação é crítica e requer de todos nós os cuidados necessários, levando em consideração a vulnerabilidade, sobretudo, das populações indígenas recém contatadas e sem contato

A Organização Mundial de Saúde, na última quarta-feira (11), declarou pandemia mundial do novo coronavírus (Sars-Cov-2), que provoca uma doença grave, a Covid-19. A situação é crítica e requer de todos nós os cuidados necessários para evitar a proliferação do vírus. A declaração de pandemia é um reconhecimento de que a crise do coronavírus ameaça muitas pessoas de forma simultânea em todo o mundo, e pode ter consequências especialmente sérias para os grupos sociais mais vulneráveis.

Infelizmente, chegamos a essa situação devido à política de negação de muitos líderes mundiais quanto à rapidez do contágio, proliferação e letalidade do vírus, em especial para a parte da população mais vulnerável. Esses líderes reduziram a política social dos Estados, combatem o avanço científico e desdenham da proteção ao meio ambiente.

Aqui no Brasil, o governo Bolsonaro, totalmente despreparado, vem reduzindo o Estado para o benefício de grupos econômicos fundamentalistas, paramilitares e familiares. O sistema de proteção social e de saúde está desestruturado, colocando toda a população sob sério risco, especialmente a parte – majoritária – que depende exclusivamente do atendimento oferecido pelo sistema público de saúde.

A situação é agravada pela atitude negacionista do presidente da República, que tem optado por semear a confusão e a desinformação, contrariando orientações e constrangendo até mesmo integrantes de seu próprio governo.

Nesse sentido, o Conselho Indigenista Missionário – Cimi decidiu recomendar a todos os seus missionários e missionárias os cuidados necessários no que diz respeito ao contato com os nossos irmãos indígenas, evitando visitas a aldeias e cancelando encontros e reuniões que possam expor indígenas e suas comunidades à contaminação. Estes cuidados buscam contribuir para a preservação da saúde dos povos indígenas e decorrem da responsabilidade assumida pelo Cimi junto aos povos, levando em consideração a vulnerabilidade, sobretudo, das populações indígenas recém contatadas e sem contato.

Existem já protocolos de recomendação quanto à redução das aglomerações e da circulação de pessoas e quanto ao contato e higiene pessoal. Muitas agendas relativas às atividades de várias organizações estão sendo desmarcadas, para evitar a proliferação do vírus. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também está preocupada e várias atividades, encontros e seminários já foram cancelados.

Ao chamar atenção para a necessidade de respeito às medidas de prevenção e mitigação dos efeitos desta pandemia junto aos povos originários, nos somamos aos esforços de outras organizações e da própria Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que decidiu adiar a realização do Acampamento Terra Livre (ATL), anteriormente previsto para o mês de abril.

Reforçamos nossa recomendação de cuidado aos nossos missionários, missionárias, equipes e regionais e informamos que permaneceremos atentos a novas orientações das autoridades públicas e vigilantes acerca de quaisquer violações que venham a ocorrer contra comunidades indígenas neste período de zelo e cautela.

A Causa Indígenas é de Todos Nós.

Brasília, 17 de março de 2020

Conselho Indigenista Missionário – Cimi

Posts recentes

Categorias

Blog

Share On Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons