Zé Roberto pede justiça e liberdade pra Lula e para democracia brasileira

Os recursos da defesa do ex-presidente Lula são julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça-feira, 25, e na Tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins (ALTO), o deputado estadual Zé Roberto Lula (PT), não deixou o tema passar em branco. “Com tudo que estamos passando no nosso país, não tem como subir à tribuna e não falar do governo do Bozo, que foi eleito em meio a um conjunto de mentiras”, disse o deputado.

Zé Roberto lembrou que nos últimos seis meses, tempo de governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), “um festival de coisas ridículas e medíocres embasaram as matérias que tramitaram no país inteiro”. A exemplo ele citou a liberação de mais de 300 tipos de agrotóxicos para uso nas lavouras brasileiras. “Em três meses ele [Bolsonaro] liberou mais venenos do que nos mais de 500 anos de história do Brasil”, alertou o deputado ao informar que até o fim do ano passado o número de agrotóxicos liberados não passava de 200 e hoje ultrapassa a marca dos 500.

Para Zé Roberto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também tem que tomar uma atitude sobre as eleições do ano passado. “Está claro que foram empresas que trabalharam na campanha do Bolsonaro, espalhando Fake News, e influenciando o resultado de forma criminosa”, apontou.

“O que vemos hoje é uma organização criminosa, fascista, montada a partir da Lava Jato”, alertou o deputado ao destacar que setores do Ministério Público e da Polícia Federal montou uma espécie de “quadrilha para extorquir pessoas e agir contra o Estado Democrático”.

O site intercept vem apresentando uma série de reportagens que mostram conversas do ex-juiz Sérgio Moro e membros dos Poderes Judiciário e Legislativo, bem como com o Ministério Público. “Na hora que o intercept começar a liberar o diálogo a respeito das delações premiadas, muita coisa vai ficar clara. Não podemos ter dúvida que o presidente Lula foi vítima de uma grande injustiça”, asseverou o deputado.

Zé Roberto encerrou seu discurso pedindo a liberdade de Lula, tendo em vista a falta de provas de condenação. “O mínimo agora é libertar o presidente Lula, tudo que tem contra ele é nulo. Não se pode nenhum brasileiro ser condenado em um processo por crime indeterminado, que é quando ninguém sabe o que é o crime, então, como que alguém pode ser condenado, se não há crime?”, finalizou

(Por Ascom Zé Roberto/Foto:Clayton Cristus /  HD)

Posts recentes

Categorias

[jetpack_subscription_form show_only_email_and_button=”true” custom_background_button_color=”undefined” custom_text_button_color=”undefined” submit_button_text=”Subscribe” submit_button_classes=”undefined” show_subscribers_total=”false” ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *