O suposto baixo estoque de medicamentos para tratamento de pacientes com Covid-19 em hospitais de Araguaína, principalmente daqueles que compõem o kit intubação, motivou o Ministério Público do Tocantins (MPTO) a expedir ofícios aos hospitais da rede pública de saúde, da rede privada e à Secretaria Municipal de Saúde, requisitando informações sobre a situação dos fármacos. O prazo para a resposta é de 24 horas. 


Segundo a promotora de Justiça Bartira Quinteiro, o  procedimento foi instaurado em razão da comunicação de uma unidade de saúde quanto ao baixo estoque e de denúncias anônimas da falta desses insumos em outra unidade que, inclusive, presta serviço ao Estado.


No documento, a promotora de Justiça questiona sobre o estoque desses medicamentos, a função dos fármacos faltantes e se fazem parte do kit intubação e qual a programação de reposição dos medicamentos em falta. 


Foram oficiados a direção do Hospital Regional de Araguaína, do Hospital Municipal de Campanha, unidade do Instituto Sinai em Araguaína e o Hospital e  Maternidade Dom Orione, os dois últimos instituições privadas, mas que possuem contrato com o Estado do Tocantins para oferta de leitos de UTI Covid-19 pelo SUS. (

Fonte Denise Soares) Foto: Marcelo de Deus]

Íh galera, o VÍRUS tá pegando!…confira mais ROLO em Araguaína (agora vírtual)….

UTILIDADE PÚBLICA: OLHA O GOLPE VIRTUAL AI MEU POVO! Roubo de internet-invasão de privacidade-aliciamento de…

Publicado por Cerrado Post em Sábado, 17 de abril de 2021

Posts recentes

Categorias

https://selo144.wordpress.com

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons